21/05/2011

Liberdade...



Eu poderia escrever versos e vê-los ganharem melodia para se tornarem belas canções... mas não sou compositora, nem poeta e nem aspirante a tal!
Sou somente uma menina que de vez em quando – o tempo todo – conversa com sua alma. A alma sim é uma bela poeta e música! A menina, não...
Na realidade a menina é ate entediante, sem graça mesmo. Ela é excelente como amiga, mas quando se trata de assuntos do coração... melhor mudarmos de assunto!!!
Ela só sabe se encantar – apaixonar – pelos meninos que não estão sob o mesmo encanto que ela...
Ela vê em muitos, muita bondade, mas em alguns que ela deveria confiar um pouco mais – ela se sente ferida a cada palavra.
A menina precisava parar de se deixar dominar pelo medo... mas de uma forma ou outra ele sempre vence!!! E ela continua perdendo oportunidades – de ouro – por causa dessa prisão, que ela mesma construiu ao seu redor e não consegue mais sair.
Mas, espere...
Quando ela canta!!! Ah sim, quando ela canta! Ela cresce, se expande, vai além – se entrega – de corpo, alma, coração e até mesmo toda a divindade que a habita, tudo! Tudo que há nela se movimenta, aparece! Ela não teme nada, quando canta! Ela sabe que seu canto é tão suave, tão puro, cristalino... que até as mais altas muralhas não o impedem! As mais curvilíneas montanhas, não são capazes de conter a brisa que carrega sua voz!
E assim, ela pode sair de sua prisão – mesmo que por pequenos momentos – e alcançar os mais longínquos corações que anseiam por ouvir o canto que também os possa libertar ou mesmo acalentar, para eles o tempo não importa, pois a intensidade com que acontece a brisa cantante já vale como se fosse uma eternidade de melodias.
E assim a menina vive, dia a dia, cantando, sorrindo e se libertando! Mesmo que em pequenas doses, mas ela vai se libertando!!!

AMD
08/05/2011


P.S.: Quero deixar muitos beijinhos doces no seu coração que lê essas palavras agora!!!
Deus abençoe!!!

1 comentários:

Gilmar Simplicio da Silva disse...

Passei aqui por acaso, achei interessante o texto que fala da menina e de suas aflições, sinceramente acho "essa" menina muito triste e solitária.
TEnho uma fórmula para passar para esta menina que ela se tornara uma mulher extremamente feliz.
Diz pra ela me escrever que eu continuo o texto.
gilmar

Postar um comentário